html> Crise hídrica: entenda como ela impacta na sua conta de energia

Consumidor está pagando R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos após a criação da Bandeira da Escassez Hídrica, pela ANEEL, até pelo menos abril de 2022

Com a falta de chuva prejudicando o abastecimento nas hidrelétricas, atualmente em nível crítico, os brasileiros passarão por um aumento significativo na conta de luz.

Desde 1º de setembro de 2021, está valendo a Bandeira tarifária da Escassez Hídrica, instituída por determinação da Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (CREG) da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). A nova tarifa estabelece que a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos, a conta tem extras de R$ 14,20. A instituição da nova bandeira irá durar até pelo menos 30 de abril de 2022.

O que muda com a Bandeira da Escassez Hídrica?

A nova Bandeira tarifária entrou no lugar da Bandeira Vermelha Patamar 2 de R$ 9,49 adicionais, que havia entrado em vigor em junho e passou por reajuste de 52% em julho. A Bandeira da Escassez Hídrica representa um percentual de 6,78% adicionais a cada 100 kW por hora.

O que, na prática, corresponde a um aumento da tarifa média residencial de R$ 69,49 para R$ 74,20 a cada 100 kWh na conta de luz dos clientes residenciais do País, nos meses de acionamento da Bandeira Escassez Hídrica.
Ou seja, uma família que consome o dobro de 100kW por hora, irá passar a pagar aproximadamente R$ 150,00 de custos extras. E em empresas que consomem 1000 kWh, esse valor pode chegar a cerca de R$ 750,00.

Qual é a diferença entre preço e tarifa?

Para não confundir, as tarifas foram criadas em 2015 pela ANEEL e refletem os custos variáveis da geração de energia elétrica. É o valor cobrado pela prestação dos serviços de geração, transmissão e distribuição de energia.
Já o preço é a composição da tarifa com os impostos. O preço final é igual à tarifa somada aos impostos (ICMS e PIS/COFINS). O valor da energia elétrica ainda varia em cada região do Brasil, e é cobrado com base no consumo a partir da leitura do medidor instalado nas residências.

Por que a conta ficou tão mais cara?

O Brasil enfrenta a pior crise hídrica nos últimos 91 anos. Com o déficit nas hidrelétricas, foi necessário o acionamento das termelétricas (geradores de energia a partir do carvão), e até a importação de energia de países como Argentina e Uruguai, soluções pouco sustentáveis e com custos de produção e distribuição significativamente mais caros.

Assim, em 2021 foi criada pela Medida Provisória nº 1.055, a Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (CREG), que visa fortalecer a governança para o enfrentamento da crise hídrica no país, sendo a Bandeira Escassez Hídrica uma das determinações da câmara.

Por que investir em energias alternativas?

Dado o atual cenário, a geração e distribuição de sistemas de energia alternativos, como a fotovoltaica (energia solar), pode ser muito vantajoso. Os sistemas de energia solar são renováveis e não poluentes, podem durar por até 30 anos, tem pouca necessidade de manutenção, e são de fácil instalação em lugares de difícil acesso, ou afastados de centros metropolitanos.

Sem contar na economia, já que produtores que geram energia solar além do seu consumo interno podem fazer uma espécie de troca com a rede elétrica, e ter até 95% de retorno em redução da conta de luz do imóvel.
Para produzir energia fotovoltaica, é necessário o investimento em painéis solares, e para comercializar o que é produzido basta se associar como um autoprodutor na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

(Clique aqui para ler uma matéria com vantagens do sistema solar fotovoltaico)

Saiba mais sobre a Sistel Engenharia

A Sistel Engenharia oferece soluções completas em Sistemas de Energia Elétrica crítica e normal a todos os clientes. Oferece um mix ideal entre tecnologia, qualidade, segurança e rentabilidade para o mercado industrial, comercial, residencial e serviço público. Localizada em Bauru/SP, atua desde 2005 nas áreas de Engenharia Elétrica e de Telecomunicações, com profissionais devidamente habilitados e qualificados, presta serviços de qualidade aos seus clientes. Seu mix de produtos e serviços contempla venda, locação, instalação e assistência técnica de gerador de energia, placas fotovoltaicas, nobreaks, painéis elétricos e produtos para baixa, média a alta tensão.

No setor de aluguel de geradores de energia, a Sistel Engenharia atende empresas e prefeituras de cidades como Bauru, Ribeirão Preto, Campinas, São José do Rio Preto entre outros municípios do estado de São Paulo.

A Sistel Engenharia fica na Rua Joaquim Marques de Figueiredo, 7-37, Distrito Industrial I. Os telefones de contato são: (14) 3011-5757 / 99685-1332 (WhatsApp). O site da empresa é: https://sistelengenharia.com.br/ e nas redes sociais: https://www.facebook.com/sistelengenharia e https://www.instagram.com/sistel.eng/.

 

Clique aqui para mais informações.
Open chat
1
Olá tudo bem ?
A Sistel Engenharia esta preparada para auxiliar você em seus projetos.
Como podemos Ajuda-lo(a) ?